sábado, 7 de novembro de 2015

a vida é sonho


dizem que é bom escrever o sonho ao acordar (antes que se desmanche no céu da boca) ou contar para alguém, ou ainda virar o travesseiro e dormir denovo para o sonho continuar... e se não suficiente então pode-se ainda fazer um blog (!) para que se tenha um alcance  muito maior, um alcance de sonho quando te faz voar pela janela a lugares  desconhecidos e até mesmo inusitados...
...aqui pode não ser real, mas é janela de um sonho compartilhado.

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Cuida de mim ( 2009 )

Imagens de um trabalho que muito me emociona, Cuida de mim, com o Ronda grupo de teatro e dança no qual trabalho desde 2009, quando encontrei este ponto de encontro definitivo com a dança e o teatro...porque até então tudo o que eu fazia , por mais controverso que fosse, partia do eixo dos conceitos das artes visuais; intervenção, performance, contaminação, palavra, desenho, objetos,  enfim, sempre a imagem norteando os processos, mas também o corpo, ou os corpos , porque o lúdico estava sempre lá, fazendo sujeitos. e quase sempre em tempo real, espontâneo e livre. Trazer tudo isso para a cena eu nunca tinha sonhado! direção, dramaturgia, luz, trilha sonora, tempo... e a improvisação que me permitia a poesia! era então um sonho mágico e o primeiro objeto que entrou em cena foi o balanço de apenas ir nascido de uma gravura -desenho - poesia e materializado anteriormente em corpo e sonho no espaço Contramão, mais um sonho compartilhado com a adri e do qual falamos em outra postagem. Bem, o balanço caiu como pluma neste trabalho e me impulsionou nesta jornada de criar  lugares dentro da cena.
A experiência do objeto para cena é de entrega e desprendimento, primeiro você captura a imagem e depois solta para que ela cresça, e voe! e com a pesquisa , o fazer e o amadurecer do trabalho o repertório criado na relação entre corpos e objetos surpreende e toma rumos que os fazem crescer...e então você tem objetos que desenham corpos que dão corpo aos objetos..







Obrigado ao grupo Ronda por bordar o chão com flores!

                             Espetáculo: Cuida de mim
Realização: Ronda Grupo
Classificação: livre
Duração: 60 minutos

Direção/concepção: Zilá Muniz

Assistente de direção: Paula Bittencourt

Dançarinos: Egon Seidler

Nastaja Brehsan
Paula Bittencourt
Vicente Mahfuz

Cenário/objetos de cena: Ana Pi

Fabiano Bernardes
Iluminação: Marcos Klann
Figurino: Zilá Muniz
Trilha sonora: músicas de Gavin Bryars
Designer gráfico: Lena Muniz
Fotos: Cristiano Prim
Produção: Egon Seidler

O espetáculo foi montado por meio de um prêmio do Edital Elisabete Anderle de Incentivo
à Cultura, promovido pela Fundação Catarinense de Cultura no ano de 2010.

ignorãça 2015


ignorãça é o último projeto em que me envolvi, estreiou no início de outubro aqui em Florianópolis e já tem uma agenda cheia com apresentações em várias cidades incluindo Buenos Aires.
Esse é um outro projeto de Jussara Xavier com a turma de montagem do ceart-udesc
mais uma vez, dessa vez junto com esha velloso, (com quem divido esse trabalho)vencemos o edital de figurinos para a montagem teatral 2015, da Udesc.
Para ver um pouco mais desse processo clique aqui e aqui!
Quando assistimos o ensaio aberto, em julho, o cenário, assinado por Roberto Gorgati, já era esse feito só de livros coloridos. Esse cenário perfeito, em nossa opinião, para uma montagem que se baseia no procedimento de manuel de barros nos conduziu a uma simplicidade e singeleza na elaboração dos figurinos. Não queríamos concorrer com o cenário, mas pelo contrário fortalece-lo. 
Nossa proposta: pensar figurinos que remetessem á infância na época do autor, anos 20 e 30,ao mesmo tempo com um material que lembrasse coisa de a brincadeira infantil - roupas de casa, de cama e de mesa. lençois, toalhas de mesa, colchas, cortinas, toalhinhas de renda etc,.
















D E S U S O
As coisas não querem mais ser vistas por pessoas razoáveis: Elas desejam ser olhadas de azul (MB)


F A Z E D O R E S   D E   I N U T I L E Z A S
Concepção e direção Jussara Xavier
Assistência de direção e produção Thaina Gasparotto
Criação, atuação e produção Camila Santaella, Elisa Bayestorff, Erik Cáceres Barbour, Gabrielli Veras, Jean Carlo de Castro, Laura Tellechêa Petrone, Luca Atilio, Maurício Kiener, Mikhael Sanchez, Paulina Godtsfriedt
Criação e fuga Ana Paula Bohnenberger, Tiffany Lastrucci
Cenografia e luz Roberto Gorgati
Paisagem sonora Dimi Camorlinga
Figurino Esha Sonia Veloso e Adriana Barreto
Música A Mulher Barbada - Adriana Calcanhotto
Texto Écrit avec la langue - Cosima Weiter
Referência O livro das ignorãças - Manoel de Barros (Record, 1993)
Agradecimentos aos tios da Camila, Cláudia e Volker Kuhlmann





quinta-feira, 5 de novembro de 2015

assemblage - o espetáculo 2013-2015



ASSEMBLAGE prá mim é um espetáculo perfeito! claro que sou muito suspeita prá falar pois o meu envolvimento com essa montagem foi total, a ponto de me sentir mais uma integrante do grupo. 

aparte esse meu envolvimento pessoal e também o significado desse projeto em minha trajetória como figurinista, assemblage é uma experiencia de muito sucesso, que acumulou vários festivais e prêmios, o elenco diminuiu bastante e muitas cenas foram retrabalhadas e após dois anos da estréia segue levantando platéias.
prá quem quiser saber mais sobre esse espetáculo sugiro que entre aqui



no dia da estréia,eu e a bruna, (que foi minha indispensável  como assistente e acessora) estávamos nos bastidores ajustando  os últimos detalhes, passando as peças, separando espaços no camarim para que não houvesse confusão na hora das trocas de figurino pois como já contei, eram 23 atores e  cada um tinha de 4 a 7 trocas de figurino durante o espetáculo.

em meio ao nervosismo geral fui chamada para participar da concentração que o grupo fez minutos antes do início do espetáculo.ouvindo o burburinho do público lá fora, e depois de alguns últimos detalhes todos se deram as mãos em roda e em silêncio cruzamos os olhares, minha mão vibrava e podia sentir a energia circulando entre nós. esse momento que aconteceu em todos os espetáculos, me trouxe à tona algo que não vivenciava desde a época  em que amava o meu grupo de teatro da escola. a energia da presença que só acontece no teatro e talvez seja comparável com a performance na relação com o público, mas aquela força do grupo que senti naquele momento é algo incomparável e inesquecível  e sou muito grata à jussara xavier e ao grupo coletivo trocado  por ter sido acolhida com tanto calor.





nem preciso dizer que fui em quase 100% dos espetáculos naquela primeira fase, não só por uma auto exigência e perfeccionismo artístico, porque queria que cada detalhe estivesse perfeito ou mesmo porque não queria largar o osso do meu oficio, mas também, porque sentia que aquilo era a figurinista em ação, que incluía uma espécie de serviço para o bem geral: cuidar da peças e dos atores, dar força, vibrar com eles a cada entrada e  final de cena nos bastidores, ajudar nas dificuldades etc. era como se aquela fosse a minha cena,e o meu personagem que se confundia comigo mesma, se sobrepunha a mim e me tornava exatamente aquilo...





pronto, agora já falei demais de mim, deixo prá vcs aqui as  lindas imagens do espetáculo nos seus primeiros dias feitas pelo meu colega, o artista e fotógrafo chileno oscar chica. 

















uma grande surpresa  e um retorno incrível, prá mim enquanto artista,foi a apropriação por parte do grupo, da montanha de roupas que meu projeto propunha como referência , que acabou sendo usada como imagem no espetáculo.
lá no finalzinho dele, cada ator, ía entrando com peças de roupa na mão e jogando sobre outras até formar essa montanha! 



 assemblage acabou de completar 2 anos  de estrada,o elenco diminuiu bastante e muitas cenas foram retrabalhadas. o espetáculo é um sucesso por onde passa, entrou em dois festivais nacionais, coleciona vários prêmios, entre eles o de melhor figurino :)no FITUB,Festival Internacional de Teatro Universitário de Blumenau em 2014.
na próxima semana,terça-feira,10.11.1015, às 20h no teatro Pedro Ivo será a última apresentação de assemblage.
para quem estiver em Floripa, programa imperdível!!!

' coisas que fazem o coração correr mais rápido...' (2014)

a casa estaciona.
nela tem uma porta, é só bater três veze se abrir devagar a maçaneta feita de galho de goiabeira.
7 minutos e você consegue ouvir o seu coração bater...
personagem (?)
teatro para um único espectador de cada vez (?)
um cenário para entrar e dentro tudo está costurado ou amarrado minusciosamente, a luz é trêmula e o cheiro é de mato e também café, não sei se é real mas vejo bolhas de sabão saindo pela chaminé...












'Coisas que fazer o coração correr mais rápido' foi contemplado com o prêmio Funarte Arte na Rua, 2013, estreou em dezembro de 2014 e segue em processo visto que é feito de experiência e concebido pelo tempo. Um trabalho da Traço Cia de Teatro em que faço direção de arte, concepção e execução de cenário e figurino juntamente com a Cais universo marcenario, responsável pelo projeto e execução da casa.